Faça o login ou cadastre-se
×

selo produto
Cód: 019488 MS: 1123633260011

Tylenol 750mg Com 4 Comprimidos

Princípio Ativo

Paracetamol

Visualizar Bula do medicamento
Preço válido para compras feitas pela internet. Imagem meramente ilustrativa.
Insira o CRM do Médico:  
Não use junto com outros medicamentos que contenham paracetamol, com álcool, ou em caso de doença grave do fígado.
Selecione a Quantidade:
Quantidade
R$ 6,17
+ -
Comprar

TYLENOL 750MG COM 4 COMPRIMIDOS É UM MEDICAMENTO, SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÉUTICO. LEIA A BULA.

NÃO USE JUNTO COM OUTROS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM PARACETAMOL, COM ÁLCOOL, OU EM CASO DE DOENÇA GRAVE DO FÍGADO.

TYLENOL

(Cilag Farmacêutica)

Composição

Comprimidos de 500 mg:

Cada comprimido contém 500 mg de paracetamol;

Excipientes:

Celulose microcristalina, amido, bissulfito de sódio, dioctilsulfosuccinato de sódio e estearato de cálcio.

Comprimidos de 750 mg:

Cada comprimido contém 750 mg de paracetamol;

Excipientes:

Celulose microcristalina, polivinilpirrolidona, dioctilsulfosuccinato de sódio, carboximetilcelulose sódica, estearato de magnésio, polietilenoglicol, hidroxipropilmetilcelulose.

Gotas:

Cada ml de solução contém 200 mg de paracetamol;

Excipientes:

Ciclamato de sódio, sacarina sódica, benzoato de sódio, metabissulfito de sódio, corante amarelo crepúsculo, polietilenoglicol, aromas, ácido citríco, água desionizada.

Indicações

Como analgésico e antipirético.

Contra indicações

Não deve ser administrado a pacientes com conhecida hipersensibilidade ao paracetamol ou aos outros componentes da fórmula.

Advertências:

O paracetamol pode causar hepatotoxicidade grave em alcoolatras crônicos, mesmo quando utilizado em doses terapêuticas.

Esta hepatotoxicidade pode ser causada pela indução do sistema microssomal hepático, resultando em aumento de metabólitos tóxicos ou por quantidades reduzidas de glutationa, responsável pela conjugação dos metabólitos tóxicos.

Precauções

Ocorrendo reações de hipersensibilidade ao paracetamol, a administração de Tylenol deve ser suspensa.

Embora o medicamento possa ser utilizado na gravidez, seu uso deve ser feito por período curto.

Reações adversas

Pode ocorrer reação de hipersensibilidade sendo descritos casos de erupções cutâneas, urticária, eritema pigmentar fixo, angioedema e choque anafilático.

Lesões eritematosas na pele e febre, assim como hipoglicemia e icterícia ocorrem mais raramente.

Embora de incidência extremamente rara, há relatos de êxito letal devido a fenômenos hepatotóxicos provocados pelo paracetamol.

Em pessoas com comprometimento metabólico, ou mais susceptíveis, pode ocorrer acidúria piroglutâmica.

Interações medicamentosas ou com alimentos:

A administração de paracetamol com alimentos retarda a absorção do fármaco.

A hepatotoxicidade potencial do paracetamol pode ser aumentada pela administração de altas doses dos seguintes fármacos:

Barbitúricos, carbamazepina, hidantoína, rifampicina e sulfimpirazona, como também com a ingestão crônica e excessiva de álcool.

Influência com exames laboratoriais:

O paracetamol pode interferir com os sistemas de medida da glicemia em fitas reagentes diminuindo em até 20% os valores médiosde glicose.

Os resultados do teste da função pancreática utilizando a bentiromida ficam inválidados, a menos que o uso de paracetamol seja descontinuado três dias antes da realização do exame.

Na determinação do ácido úrico sérico, o paracetamol pode produzir valores falsamente aumentados, quando for utilizado o método de tungstato.

O paracetamol pode produzir falsos resultados positivos na determinação qualitativa do ácido-5-hidroxi-indolacético, quando for utilizado o reagente nitrozonaftol.

Posologia e modo de usar

Adultos e crianças acima de 12 anos:

Tylenol 500 mg:

1 a 2 comprimidos, 3 a 4 vezes ao dia.

Não exceder mais do que o total de 8 comprimidos, em doses fracionadas, num intervalo de 24 horas.

Tylenol 750 mg:

1 comprimido, 3 a 4 vezes ao dia.

Não exceder mais do que o total de 5 comprimidos, em doses fracionadas, num intervalo de 24 horas.

Tylenol gotas:

35 a 55 gotas, 3 a 5 vezes ao dia.

Não exceder mais do que o total de 5 administrações nas 24 horas.

Crianças:

Tylenol gotas deve ser administrado na dose de 1 gota por kg de peso, por dose (por exemplo:

Uma criança com 10 Kg deverá tomar 10 gotas, com 15 Kg tomará 15 gotas e assim por diante), até o limite de 35 gotas por dose.

Essa administração pode ser repetida 4 a 5 vezes por dia, com intervalos de 4 a 6 horas, não devendo ultrapassar 5 administrações nas 24 horas.

Superdose:

O paracetamol em doses maciças pode causar hepatotoxicidade em alguns pacientes.

Em casos de suspeita de ingestão de doses elevadas de Tylenol, deve-se procurar imediatamente um serviço médico de urgência.

As crianças se mostram mais resistentes que os adultos em relação a hepatotoxicidade, visto que casos graves são extremamente raros, possivelmente devido a diferenças de metabolização da droga.

Apesar disto, da mesma forma que para adultos, devem ser tomadas as medidas corretivas descritas a seguir nos casos de superdosagem em crianças.

Os sinais e sintomas iniciais que se seguem a ingestão de uma dose maciça, possivelmente hepatotóxica, de paracetamol são:

Náuseas, vômitos, sudorese intensa e mal-estar geral.

Hipotensão arterial, arritmia cardíaca, icterícia, insuficiência hepática e renal são também observados. Os sinais clínicos e laboratoriais de toxicidade hepática podem não estar presentes até 48 a 72 horas após a ingestão da dose maciça.

Tratamento da superdose:

O estômago deve ser imediatamente esvaziado, seja por lavagem gástrica ou por indução ao vômito com xarope de ipeca.

Deve-se providenciar nos centros com metodologia e aparelhagem adequadas, a determinação dos níveis plasmáticos de paracetamol.

As provas de função hepática devem ser realizadas inicialmente e repetidas a cada 24 horas até normalização.

Independentemente da dose maciça de paracetamol referida, deve-se administrar imediatamente o antídoto considerado eficaz, a N-acetilcísteina a 20%, desde que não tenha decorrido mais de 16 horas da ingestão.

A N-acetilcísteina deve ser administrada por via oral, na dose de ataque de 140 mg/kg de peso, seguida a cada 4 horas por uma dose de manutenção de 70 mg/kg de peso, até um máximo de 17 doses, conforme a evolução do caso.

A N-acetilcísteina a 20% deve ser administrada após a diluição a 5% em água, suco ou refrigerante, preparada no momento da administração.

Além da administração da N-acetilcísteina, o paciente deve ser acompanhado com medidas gerais de suporte, incluindo manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico, correção de hipoglicemia, administração de vitamina K, quando necessário e outras.

Após a recuperação do paciente não permanecem seqüelas hepáticas anatômicas ou funcionais.

Apresentação

Comprimidos de 500 e 750 mg:

Embalagens contendo 20 e 200 comprimidos.

Gotas:

Frascos plásticos contendo 15 ml.